Ator Hugo Gross mostra à polícia vídeo da ex depredando portaria de prédio; assista aqui

Acusado pela ex-namorada de ser o mandante da agressão que ela teria sofrido de dois porteiros num condomínio em Curicica, Zona Oeste do Rio, o ator Hugo Gross disse ao EXTRA, nesta quinta-feira, ter provas contra a mulher, que, segundo ele, teria se "autoflagelado".

A modelo e atriz Jéssica França Ferreira, de 24 anos, procurou a polícia afirmando ter sido brutalmente agredida na madrugada de terça-feira, enquanto tentava entrar no edifício do ator para buscar seus pertences.


À polícia, Jéssica mostrou imagens de hematomas no rosto e corpo e afirma ter levado socos, empurrões e puxões de cabelos que teria sofrido dos porteiros.

Hugo negou as acusações e procurou a 42ª DP (Recreio) na tarde desta quinta-feira, junto com o seu advogado, do porteiro e do síndico do prédio. O ator, de 52 anos, afirma que a ex-namorada teria forjado as agressões.


Ele entregou à polícia imagens gravadas por câmeras da portaria do edifício em que mora mostrando Jéssica alterada e depredando o local.

Nas imagens, enviadas pelo ator ao Extra, a mulher aparece com uma barra na mão quebrando objetos da portaria. (veja abaixo)



"Eu não vou prestar queixa dela. Até porque, ela está dizendo aqui, pelo que eu li, que tentou entrar no meu apartamento e eu não deixei ela entrar. Ela não está me acusando de agressão, só disse para a polícia que eu mandei os caras agredirem ela. Tudo isso é mentira. E as gravações mostram ela quebrando a portaria e se autoflagelando. Está tudo gravado. Ela quer notoriedade", disse ele, dando sua versão para o caso:

"Ela chegou na minha casa às 3h da manhã querendo buscar as coisas que ela tinha lá. Não moramos juntos. Ela ficava lá às vezes. Ela estava alteradíssima e quebrou toda a portaria. O síndico gravou ela puxando o próprio cabelo. Ela mesmo se autoflagelou. Ninguém encostou nela. Está tudo gravado".

Hugo, no entanto, não mostrou ao EXTRA as imagens de Jéssica se autoflagelando. "Essas imagens não estão comigo, estão nos autos do processo. Há testemunhas. Inclusive, o cara que ela chamou de macaco contou que ela se autoflagelou", explicou.


Segundo Hugo Gross, Jéssica estaria inconformada com o fato de ele ter colocado um ponto final na relação.

"Ela estava proibida entrar no meu edifício, e ela invadiu o apartamento. Eu tenho todas as provas. Ela foi toda monitorada: desde os momentos que ela invadiu o apartamento, bateu na minha porta, quebrou a portaria, se autoflagelando, se jogando no chão e chamando o porteiro de 'macaco'", acusa.

Jéssica fez a denúncia na Delegacia de Atendimento a Mulher (DEAM) de Jacarepaguá e também passou por exames de corpo de delito no Instituto Médico Legal. Os resultado apontou lesões no corpo de Jéssica. A modelo pediu ainda uma medida protetiva contra Hugo.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS