Colíder: Professores são contra adoção de apostilas nas escolas municipais



HojeNews - Os profissionais da rede municipal de educação de Colíder são contra a adoção do método apostilado nas escolas locais pela prefeitura, que pretende contratar o Sistema Positivo Aprende Brasil.

Para a presidente da subsede local do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep), a metodologia desvia recursos públicos para a iniciativa privada sem que com isso altere os resultados da qualidade de ensino.

A categoria iniciou na quinta-feira (15/12) uma mobilização contra o apostilamento. “Reunimos cerca de 150 profissionais do campo e da cidade para impedir que o município consolide a privatização do pedagógico das escolas”, destaca Edina Martins de Oliveira.

As apostilas do Sitema Positivo são adotadas em escolas de Mato Grosso. Em Sorriso o apostilamento foi implantado em 2006. O Sintep aponta para o impacto financeiro e a discrepância econômica do investimento, principalmente se for comparado Sorriso e Colíder.


Segundo a entidade, a receita destinada em 2014 para a educação de Sorriso, equivale a arrecadação total do município de Colíder. 

Uma pesquisa do Sintep com 12 escolas de Sorriso e com mais de cem profissionais revela que o material apostilado não é consenso entre a categoria. Muitos continuam usando simultaneamente o livro didático.

Segundo Mauro Ribaldi, presidente do Sintep de Feliz Natal -- onde o sistema apostilado foi adotado e descartado após pressão dos professores --, a prefeitura local investia 40% dos recursos do Fundeb municipal, cerca de R$ 500 mil com o Sistema. “Sem nenhum resultado diferente do livro didático, que é gratuito”, disse.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS