"Não sou obrigada a ser magra. Estou nem aí!", dispara Marilia Mendonça



Marie Claire - Marilia Mendonça se tornou uma das grandes sensações da música sertaneja desde que lançou suas primeiras canções sobre relacionamento, como o hit "Infiel", no ano passado.

Mas na direção contrária de outras cantoras de sucesso no Brasil, a goiana não pensa em mudar a aparência para ajudar a alavancar ainda mais sua recém-lançada carreira musical. Pelo contrário, quer se tornar um exemplo de valorização do corpo como ele é naturalmente. "O que faz bem para minha imagem é um trabalho com qualidade. É possível ser feliz por si mesma", contou à Marie Claire.

Nesta entrevista, Marilia diz como está lidando com a fama, relembra o início da vida como cantora e fala de suas experiências próprias com homens: "Já traí e fui traída".

Marie Claire - Você não é o tipo de pessoa que segue tendências e/ou imposições de beleza ou moda. O que te faz ser assim?
Marilia Mendonça - Nada na minha vida é imposto! Não sou obrigada a ser magra, me render a modinhas para ser feliz. Eu canto, não subo na passarela. Inventam um padrão e as pessoas têm de seguir. Isso é um absurdo. Você tem de fazer e ser como quiser. Talento não tem relação com balança ou roupa, e se você o tem será aceita pelo seu trabalho. Isso vale para todas as áreas. Agora, se a pessoa quiser mudar por ela, ok!

MC - Já sofreu preconceito por não ser magra?
MM - Eu não estou nem aí! Gente, a pessoa tem de estar bem com ela própria, aí sim fica bem com os outros e não para os outros. Se cada um tem DNA diferente, porque que teria de ser sempre magra? Sou feliz e quero, sim, que as pessoas me vejam como exemplo. Se um dia resolver emagrecer, será por vontade própria e não porque faz bem para minha imagem.

MC - Que tipo de roupa você gosta de vestir?
MM - Roupa confortável, porque é um saco usar algo e ficar puxando aqui e alí.

MC - É verdade que você usa pouca maquiagem para não mudar muito sua aparência?
MM - Claro, quando olho no espelho preciso ver a mim e não enxergar outra pessoa.

MC - Como foi o início de sua carreira na música?
MM - Com 13 anos eu já compunha e aos 15 tive minha primeira composição gravada, que foi "Crime perfeito", um sucesso nacional com João Neto & Frederico. Antes, não curtia sertanejo, gostava de rock, apreciava a música nordestina e, também, o brega. Um tempo depois, assinei contrato como compositora, mas queria cantar. Meu empresário, Wander Oliveira, segurou a onda e me convenceu a esperar o melhor momento e maturidade. Em agosto de 2015 fui para estrada pela primeira vez como cantora. Mas antes disso gravei meu primeiro DVD com, no máximo, 15 convidados e num espaço de 70 metros quadrados.

MC - E como alcançou o sucesso?
MM - Algumas coisas têm lógica, mas não têm uma explicação concreta. O sucesso não é uma ciência exata, você trabalha, dá o seu melhor, faz tudo certinho e tudo isso vai para as mãos do povo, que vira juiz. Quando o sucesso acontece é porque se identificaram com sua música, mas para ser duradouro tem de ser verdadeiro. Talvez as mulheres precisassem de uma voz para dizer que nem tudo são flores, mas que podemos, sim, lidar com espinhos.

MC - Depois que ficou famosa, o assédio dos homens aumentou?
MM - Para falar a verdade, nunca tive problemas com homem. Nunca passei vontade e sempre escolhi, nunca me deixei ser escolhida. Passei perrengue como qualquer pessoa, fui traída e traí também, coisas da vida. É natural que o assédio aumente quando se ganha visibilidade, mas já tenho meu eleito!

MC - Você é uma das artistas mais vistas no YouTube no Brasil, qual o diferencial para atrair tanta atenção?
MM - Minha música! Meu repertório é bem o cotidiano, não serve somente para mulheres, mas para homens também. A música "Meu Cupido é Gari" fala de alguém que tem dedo podre para escolher parceiro e o tal do cupido só lhe traz lixo. Infidelidade [tema do sucesso "Infiel"] é algo que nunca vai acabar. Isso tudo chama atenção porque te traz para o mundo real, e não só para o conto de fadas perfeito com final feliz.

MC - E como você está lidando com todo este sucesso?
MM - Com alegria, porque sempre busquei ser reconhecida pelo meu trabalho e o sucesso é consequência disso. Eu me incomodo com pessoas que pensam ter o direito de comandar meus passos e tirar minha naturalidade. Eu não sou uma personagem, sou eu mesma, não existem pessoas distintas: Marilia Mendonça e Marilia Mendonça cantora. Há apenas momentos diferentes. No meu trabalho, sou profissional. Em casa, com a família, amigos e namorado sou a responsável menina de 21 anos.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS