Colíder: Câmara e autoridades buscam ações para conter crescimento da violência; promotor cobra criação do GGI

Da Assessoria – Vereadores de Colíder e representantes de diversos setores da sociedade organizada, Polícia Civil, Polícia Militar, Ministério Público, Promotoria Pública, Secretaria de Ação Social, Corpo de Bombeiros, Guarda Mirim, Exército, Guarda Municipal, Prefeitura Municipal e Conselho de Segurança, entre outros, promoveram durante toda a manhã desta quarta-feira (25/01), no auditório da Câmara Municipal, um amplo debate sobre questões envolvendo a segurança pública no município.

O evento é uma iniciativa da Câmara Municipal e foi motivado pelo significativo aumento das ações criminosas nos últimos meses na cidade e, também, em propriedades rurais, com furtos, assaltos, tentativas de assassinato e homicídios. “A população está preocupada e vem cobrando de nós, vereadores, o estudo de medidas que possam reduzir essa onda de crimes que atinge Colíder, envolvendo principalmente menores de idade”, destaca o vereador Marcos Aragão, o Marquinhos (PSD), vice-presidente da Câmara e idealizador do encontro.



Medidas preventivas

Para o promotor de Justiça Washington Eduardo Borrére, é preciso restabelecer com urgência a sensação de segurança em Colíder através de medidas efetivas que envolvam, além das forças policiais, o governo municipal, secretarias e, principalmente, as famílias. “Com serviços públicos, de assistência social, saúde, esporte e outras ações que envolvem os diversos setores da sociedade e as famílias, com atividades, principalmente, voltadas ao jovem. Nós não vamos resolver o problema construindo centro de internação. Precisamos começar em pensar em outras soluções. É preciso ocupar a cabeça dessa garotada”.


Washington cobra a efetivação do Gabinete de Gestão Integrada (GGI) para a interlocução permanente entre as instituições do sistema de justiça, criminal e os órgãos de segurança pública. Também cobra reorganização do Conselho Municipal de Segurança Pública. Destaca ainda que toda a sociedade tem responsabilidade e compromisso social com iniciativas que recuperem o ser humano. “Precisamos dar um passo além. E nós não estamos analisando o mais importante: a prevenção. O que nós temos em Colíder em termos de capacitação de jovens? O que eu tenho de curso técnico em Colíder?”, questionou o promotor.

O promotor lembrou que propôs, sem sucesso, a criação de um comitê social voltado à criança e ao adolescente e a implantação de um projeto socioeducativo com prestação de serviços em entidades que pudessem ensinar aos jovens. Em 2014, Washington apresentou à Prefeitura um projeto relacionado ao esporte. “Essa sugestão está dormindo não sei onde até hoje. Era só pegar o professor de Educação Física, comprar uma bola, uma rede e outros materiais esportivos e manter essa garotada ocupada. Até hoje, não vi. Infelizmente, não valorizamos as boas ideias”, lamenta.


Soluções viáveis

O presidente da Câmara, Rica Matos (PSD), enfatiza que a sociedade está cobrando dos vereadores, do Judiciário e dos órgãos policiais ações urgentes para reduzir os índices de criminalidade no município. “As policiais Civil e Militar estão trabalhando. Nós sabemos disso. A prisão de criminosos é feita. Mas a sociedade quer mais. E cobra de nós medidas com resultados mais satisfatórios. A casa do meu pai, por exemplo, foi assaltada há poucos dias. Quer dizer, todos nós somos vítimas da violência. Queremos que desse encontro saia uma solução rápida, viável e definitiva”.


O delegado de Polícia Civil de Colíder e titular da Delegacia de Nova Canaã do Norte, Ruy Guilherme Peral da Silva, ressalta que segurança pública é responsabilidade de toda a sociedade e que é preciso investir na prevenção. “Eu sempre tenho buscado parcerias com a Polícia Militar e estamos conseguindo combater o crime e prender indivíduos perigosos”, enfatiza.

Mas o policial alerta que, infelizmente, construir apenas cadeias e presídios não é a solução. Segundo Ruy Guilherme, esses locais acabam se transformando, apenas, em depósitos de pessoas. “O que aquele indivíduo fará enquanto está na cadeia? O que aquele menor infrator está fazendo no centro socioeducativo? Muitas vezes, nada de produtivo. Na companhia de elementos com histórico criminal mais grave, ele sai dali com o diploma de doutor do crime e batizado em alguma facção criminosa. Por quê? Porque aquele indivíduo não tem nenhuma expectativa. Por isso, precisamos continuar debatendo essas questões e fazer com que Colíder seja um município melhor para se viver”.


Agenda indicativa
As sugestões apresentadas e as informações coletadas no encontro serão apresentadas a todos os vereadores durante uma reunião prevista para acontecer no fim da tarde desta quarta-feira. “Agora, é a Câmara que dará prosseguimento ao processo de elaboração de uma agenda indicativa para melhorar a segurança pública em nosso município”, informa o vereador Marquinhos.

O parlamentar gostou do resultado do encontro. “Eu compactuo com a maioria das pessoas que deram o seu depoimento, de que não adianta combater o crime sem se não investirmos na prevenção, com medidas de apoio ao jovem e às famílias. É preciso que todos os setores da sociedade e todos os órgãos e secretarias do município estejam amplamente envolvidos nesse processo. Tem que ter o preventivo”, diz o vice-presidente.








ÚLTIMAS NOTÍCIAS - CONFIRA AQUI