Homem acusado de matar vítima por dívida de R$ 150 é preso em MT pela Polícia Civil



HojeNews - Um homem acusado de homicídio ocorrido na segunda-feira (2/01), em Pontes e Lacerda (MT), foi preso em flagrante pela Polícia Judiciária Civil, menos de três horas após o crime. Apontado como autor do homicídio, Tiago Gomes de França (23) assassinou a vítima em razão de uma dívida de R$ 150.


O crime que vitimou Gustavo Severiano Coelho, aconteceu por volta das 20 horas, em uma quitinete no Centro da cidade, onde a vítima morava. Segundo as investigações, o suspeito chegou ao local, e efetuou três disparos de arma de fogo contra a vítima, que foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros, mas não resistiu aos ferimentos e morreu logo após dar entrada no Hospital Vale do Guaporé.

Assim que foram acionados do crime, os policiais civis da Delegacia de Pontes e Lacerda iniciaram as investigações, conseguindo identificar o autor do homicídio, com base, inicialmente, em informações que testemunhas postaram nas redes sociais.

Segundo as denúncias, Tiago chegou ao local em um veículo Fiat Strada e entrou na casa da vítima dizendo “Quem deve tem que pagar” e logo em seguida efetuou os disparos. Algumas horas depois, o suspeito foi até a delegacia para registrar um boletim de ocorrência de calúnia, afirmando não ser o assassino de Gustavo, mas os policiais tinham as informações que o apontavam como autor do crime.

A prisão de Tiago foi realizada menos de três horas após o crime. No momento em que assassinou a vítima, o suspeito estava de barba e quando foi a delegacia a retirou, para tentar enganar os policiais.

Interrogado pelo delegado, André Luís Barbosa, Tiago confessou a autoria do crime e disse que matou a vítima em razão de uma dívida de R$ 150. “A vítima vendeu um aparelho celular para o suspeito, que não funcionou e por isso Tiago estava exigindo o dinheiro de volta”, explicou o delegado.

Tiago entregou a arma utilizada na ação e foi autuado em flagrante pelo crime de homicídio qualificado. As informações são da assessoria da Polícia Civil.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS - CONFIRA AQUI