Homem que matou a facada e esquartejou mulher pode ter comido fígado da vítima em MT

Olhar Direto - Joilton Caetano da Fonseca, 44 anos, que assassinou uma mulher com requintes de crueldade, na cidade de Paranatinga pode ter comido o fígado da vítima. A hipótese está sendo investigada pela Polícia Judiciária Civil (PJC). Porém, o delegado Bruno de Moraes Carvalho diz que esta hipótese é muito remota e irá pedir um exame de sanidade mental do acusado.

As testemunhas apontaram que o homem chegou em um bar coberto de sangue e disse que teria comido o fígado da mulher. Os policiais receberam esta informação, mas ainda não há como saber se ela é verdadeira. Isso porque eles encontraram o corpo da vítima com a maioria dos órgãos ao lado.

Além disto, também foi encontrado um pedaço de carne cortada na geladeira, mas não é possível afirmar a origem. Um laudo da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) irá revelar se seria um pedaço do fígado da vítima.

O delegado explicou que o homem estava completamente embriagado e que foram encontrados diversos remédios controlados em sua casa. Ele ainda acredita que o homem não esteja pleno de suas faculdades mentais e irá pedir um laudo de sanidade do assassino.

O caso

A mulher foi morta a facadas e teve as mãos decepadas. Depois o criminoso fez uma incisão no tórax e retirou os órgãos internos. Na delegacia confessou que “matou porque estava com raiva” da companheira com quem tinha brigado. O preso foi indiciado no crime de feminicídio – assassinado motivado pelo fato da vítima ser mulher – destruição de cadáver e posse ilegal de munições.

O delegado de Paranatinga, Bruno de Moraes Carvalho, disse que a equipe foi enviada ao assentamento Boa Vista, distante 200 quilômetros da cidade, para apurar denúncias da morte de uma mulher. Acompanhados da Politec, os policiais quando chegaram ao local flagraram o suspeito colocando fogo no corpo da vítima.

“A denúncia que uma mulher havia sido vítima de homicídio chegou, mas ninguém achava que o suspeito estaria ainda no local. O inquérito está praticamente finalizado”, disse o delegado. Dentro da casa, os policiais apreenderam 6 cartuchos de 16 carregados, 1 cartucho calibre 16 e outro de 36, vazios. O preso encontra-se recolhido na cadeia pública do município.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS - CONFIRA AQUI