Mato Grosso adota plano de contingência e já impediu 50 mortes no sistema prisional

HojeNews - Operações de inteligência, prevenção e controle impediram mais de 50 mortes de detentos das unidades prisionais de Mato Grosso, e também vários atentados contra profissionais de segurança que se tornaram alvo das facções criminosas que atuam em todo país. 

As ações fazem parte de um plano de contingência determinado ao sistema de segurança pública do Estado de Mato Grosso pelo governador Pedro Taques, na semana passada, mesmo em férias, após os conflitos entre facções criminosas em presídios do Amazonas e Roraima.

O reforço realizado na Segurança Pública no último ano evitou mais de 200 mortes na Região Metropolitana, se comparado com o número de mortes registradas em 2015.

Os dados da operação e novas medidas a serem adotadas foram discutidas neste sábado (07.01), durante reunião no Palácio Paiaguás convocada pelo governador com os secretários de Segurança Pública, de Justiça e Direitos Humanos e da Casa Militar.

“O sistema de segurança pública do Estado de Mato Grosso está em alerta máximo e executando um plano qualificado de ações para minimizar os riscos de conflitos entre integrantes de facções criminosas, dentro e fora das unidades prisionais”, frisou o secretário de Segurança, Rogers Jarbas.

Durante a reunião Pedro Taques conversou por telefone com o Ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, informando-lhe as medidas já tomadas pelo Estado para evitar mortes em Mato Grosso decorrentes da guerra entre as facções, e também reivindicou mais equipamentos para reforçar o aparato existente de contenção, sendo uma das medidas preventivas adotadas.

Sistema prisional
O sistema prisional de Mato Grosso possui 56 unidades, com 11.372 detentos, dentro os quais 41% são presos provisórios. O governador vai convocar uma reunião ampliada no início da próxima semana com o Poder Judiciário, Ministério Público, Defensoria Pública, Ordem dos Advogados do Brasil, Sindicato dos Agentes Penitenciários de Mato Grosso e representantes das faculdades de Direito, para a formar uma força-tarefa para analisar a situação dos presos provisórios e também a progressão de pena dos detentos já condenados, com o objetivo de liberar mais vagas no sistema prisional.

Durante a reunião deste sábado, o Secretário de Segurança também fez um contato com o superintendente da Polícia Federal em Mato Grosso, delegado Aderson Vieira Leite, para nivelar as ações de prevenção e controle.

Na reunião também foram discutidas as medidas para ampliação das vagas no sistema prisional, bem como o status das obras de construção das novas unidades prisionais de Várzea Grande, com 1.008 vagas, e de Peixoto de Azevedo, com mais 250 vagas. A informação é da assessoria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS - CONFIRA AQUI