Advogado de Mato Grosso flagrado com menores em motel com menores de 12 e 15 anos; juíza decreta prisão

MidiaNews - A juíza Renata do Carmo Evaristo Parreira, da 9ª Vara Criminal de Cuiabá, decretou a prisão preventiva de um advogado de Lucas do Rio Verde, de 50 anos, que foi detido em flagrante, na última sexta-feira (17), com duas menores de idade em um motel de Cuiabá.

O advogado foi flagrado pela Polícia deixando um dos quartos do estabelecimento com as meninas de 15 e 12 anos.

Após a decisão da magistrada, proferida em uma audiência de custódia, Miquelin foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), onde realizou exame de corpo de delito.

Logo após, foi levado para o Centro de Custódia de Cuiabá (CCC), onde permanecerá preso.

O advogado foi autuado pelos crimes de fornecimento de bebida alcoólica para menores, favorecimento à prostituição de pessoas menores de 18 anos e prática de conjunção carnal na frente da outra menor.

Se condenado, a pena mínima seria de oito anos e no máximo de 18 anos de reclusão.

OAB

A Ordem dos Advogados do Brasil em Mato Grosso (OAB-MT) vai instaurar um procedimento ético contra Valdir Miquelin para investigar o caso.

De acordo com o presidente da entidade, Leonardo Campos, o advogado pode ser punido com uma advertência ou até com a expulsão da ordem.

“Mesmo se a polícia não investigar o caso, o procedimento ético será aberto”, destacou o presidente.

Apesar de não ter sido acionado pelo advogado no momento da prisão, o presidente da OAB, Leonardo Campos, e o presidente do Tribunal de Defesa das Prerrogativas (TDP), André Stumpf, foram à Central de Flagrantes para averiguar a situação e o cumprimento das prerrogativas previstas em lei.

Entenda o caso

A polícia chegou até o advogado através de uma denúncia. No motel, no Bairro Santa Marta, em Cuiabá, Valdir Miquelin confirmou para os soldados que havia mantido relações sexuais com a menina de 15 anos, enquanto a outra mais nova teria apenas assistido ao ato.

De acordo com o boletim de ocorrência, as duas contaram que estavam na Avenida dos Trabalhadores, próximo a um posto de gasolina, quando uma Toyota Hilux parou próximo delas.

Ainda segundo o B.O, a adolescente de 15 anos teria perguntado ao condutor do veículo: “Bora?”. Neste momento, o advogado abriu a porta e as duas entraram. Eles, então, seguiram em direção ao motel.

O relato da menina à Polícia é de que o advogado teria lhe oferecido dinheiro em troca da relação sexual. As adolescentes também relataram que o suspeito lhes ofereceu bebida alcoólica e guloseimas.

A Polícia encaminhou o advogado para o Cisc Planalto, onde foi autuado pelos crimes de estupro de vulnerável, favorecimento da prostituição e por servir bebida alcoólica a menor de idade.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS