Carlos Fávaro e Fábio Garcia enxergam Pedro Taques como candidato natural à reeleição, mas debate somente em 2018

Olhar Direto - Dirigentes dos dois maiores partidos da aliança que dá sustentação à atual gestão, o vice-governador Carlos Fávaro, presidente do PSD, e o deputado federal Fábio Garcia, presidente do PSB, classificam o governador José Pedro Taques (PSDB) como “candidatura natural à reeleição”, principalmente por estar honrando compromissos e ser quem mais aglutina. Todavia, cobram que o debate seja feito somente no segundo semestre de 2018 e não seja antecipado, sobre pena de prejudicar os interesses da maioria dos mato-grossenses.

Organizadores da reunião mensal da base aliada, junto com PSDB e DEM, socialistas e sociais democratas entendem que ambos fazem é de que o governador só não disputa a reeleição, em outubro do próximo ano, se não quiser.

“É, sim, candidato natural à reeleição, em 2018. Sem dúvida, é natural que seja candidato, mas não é foco da discussão atual. Isso vai ser debatido no momento certo [julho de 2018]. Agora, nos reunimos para melhorar a gestão do Estado, fortalecer o grupo político; eleição nós vamos discutir em 2018”, disse Fávaro, para a reportagem do Olhar Direto.

Fávaro confia que o PP continua na base aliada e lembrou a postura do ministro da Agricultura, senador Blairo Magi (PP), que defendeu a discussão apenas em 2018.

O presidente do PSB pensa da mesma forma. “A nossa prioridade é poder resolver muitos problemas de Mato Grosso que se perpetuam há muitos e muitos anos. O momento é para governar e não discutir eleições. É um momento difícil que o Brasil vive e, lógico, reflete nos estados. Em Mato Grosso não é diferente, temos de fazer ajustes, porque o foco [do grupo de Pedro Taques] é fazer um bom governo”, afiançou Fábio Garcia.

Sobre as críticas da oposição, ele lamentou que haja exageros, não deu nome aos bois, apenas cobrando que se busque o que é certo. “É essencial fazer política com responsabilidade; se falando a verdade com as pessoas”, provocou Garcia, num recado indireto aos presidentes do PMDB, deputado federal Carlos Bezerra; e do PR, senador Wellington Fagundes.

Fávaro e Garcia entende que o governo Taques está honrando compromissos assumidos em com o eleitorado mato-grossense, no pleito de 2014. “Política se faz com diálogo, conversa e troca de informações. Temos um grupo muito forte e vamos continuar trabalhando por Mato Grosso”, resumiu Fávaro.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS