Colíder: Vereadores Doris e Ruam visitam produção de açaí da Fazenda Sapucaia; Sebrae oferece apoio para formalização



Sérgio Ober - Assessoria de Imprensa - A Fazenda Sapucaia, a 18 quilômetros da cidade de Colíder, no sentido da BR-163, é um bom exemplo de como a diversificação de culturas e a industrialização da produção agrícola pode gerar bons lucros e manter a família agregada ao campo. A convite da vereadora Dóris Sguizardi (DEM), o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Ronaldo Vinha, e Lidiane Ângela da Silva e Douglas Ivan, do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), e o vereador Ruam Batista (PTB) conheceram de perto essa boa realidade.


O proprietário da área de 50 alqueires, cortada pela MT-320, é Ezequiel Loretti da Silva, natural do Paraná e que seu mudou para Colíder em 1993. Ele toca a propriedade em parceria com a esposa Alessandra. O casal conta com a ajuda dos filhos Diego (20) e Thais (23) e do genro Fernando Bastos. Nos três alqueires – cerca de sete hectares – localizados à margem direita da rodovia, a família produz cerca de sete mil pés de açaí e perto de dois mil de cupuaçu. Também são cultivados 100 mil pés de abacaxi. Parte da fazenda foi arrendada a um vizinho para o plantio de arroz.

Os Loretti da Silva também plantaram 100 mudas de maracujá, uma experiência para verificar como a cultura se adapta ao solo da região. “Há uma procura grande pela fruta. Mas ainda é cedo para saber ser as plantas vão vingar”, explica Diego. Toda a produção de açaí, cupuaçu e abacaxi vira polpa, que é comercializada em Colíder e municípios da região. Mas a maior parte é comprada por uma indústria de sucos de Sinop.

Formalização do negócio

O açaí é o foco principal. A planta se adaptou muito bem ao solo e ao clima de Colíder. Por enquanto, a fazenda produz cerca de 800 quilos de polpa por semana. Para comercializar em larga escala, Ezequiel precisa regularizar o negócio. Para isso, já conta com a consultoria de Lidiane, que é a gerente do Sebrae em Colíder, e de Douglas Ivan, gestor de Projetos do Agronegócio da instituição. “Pedi a ajuda do Sebrae para fazer tudo certinho, dentro da lei, seguindo normas ambientais e sanitárias, poder emitir uma nota fiscal e adotar uma embalagem adequada e personalizada”, relata o produtor, que está com um olho fixo na forte demanda do mercado consumidor e outro focado no aumento da produção de açaí. 


Os primeiros açaizeiros – uma palmeira que produz um fruto de cor roxa, muito utilizado na confecção de alimentos, doces, geleias, sorvetes e bebidas – foram plantados por Ezequiel há cinco anos. O auge da produção, entretanto, ocorre por volta do sétimo ano, quando cada pé produz, em média, 50 quilos. Cerca de dois mil pés têm apenas três anos, mas já começam a dar os primeiros cachos. E a família já tem prontas para o plantio outras duas mil mudas. A intenção é acrescentar anualmente até três mil novas plantas à lavoura.


Além de buscar a condição de empresa para a sua propriedade, Ezequiel pediu que Diego e Fernando participem do curso ‘Negócio Certo Rural’, um programa gratuito de capacitação em planejamento e administração de pequenos negócios rurais idealizado pelo Sebrae e que está com as inscrições abertas em Colíder. As vagas são limitadas. Os interessados devem procurar a sede da entidade na avenida Tancredo Neves 27, ao lado da Praça Central. O telefone é o (66) 3541-4639.


Apoio e informação

Ezequiel fez uma demonstração de como funciona o processo de despolpa do açaí. Enquanto isso, a esposa Alessandra ofereceu uma degustação de sorvete de açaí preparado com xarope de guaraná. Em seguida, o grupo foi levado para o outro lado da MT-320 para conhecer o plantio integrado de açaí e cupuaçu. Trazida por uma vasta rede de canos, a água que irriga as plantas vem do córrego que corta a propriedade.


Os vereadores Doris Sguizardi e Ruam Batista ficaram surpreendidos com capricho e a dedicação existentes na Fazenda Sapucaia. “É um exemplo a ser seguido por outros pequenos produtores de Colíder. O seo Ezequiel é um produtor informal que procurou a Câmara, e tivemos o apoio imediato da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e do Sebrae. Acompanhamos toda a produção do Ezequiel e ele vai ser formalizado, sem perder o vínculo rural e que já vai começar a gerar emprego e renda. Resgatar a agricultura familiar é um dos objetivos do nosso trabalho na Câmara e com o apoio da Prefeitura”, pondera Dóris, que organizou essa visita à Fazenda Saúcaia para ajudar o Ezequiel.


Para o vereador Ruam, a diversificação da economia rural é um passo importante para garantir a renda nas propriedades e garantir a permanência do pequeno produtor no campo. “Para isso, é preciso atualizar o conhecimento e buscar informações sobre como administrar o negócio rural. E o poder público tem essa obrigação de apoiar as famílias de agricultores, porque no campo também há pessoas com um olhar empreendedor, mas que precisam dessa ajuda, igual essa que a Câmara, a Secretaria de Desenvolvimento e o Sebrae estão oferecendo neste momento ao seo Ezequiel”.


O secretário Ronaldo Vinha destaca que esse é o objetivo da nova gestão municipal de Colíder, ajudar o pequeno agricultor a plantar e a comercializar os seus produtos. “O açaí é um exemplo. É um produto produzido em nosso município. E nós viemos aqui, hoje, na propriedade do seo Ezequiel junto com o Sebrae para ajudar naquilo que ele precisa. E a estrutura que nós encontramos aqui nos surpreendeu bastante. Uma construção totalmente moderna, equipamentos adequados, com bastante higiene. Ele está realmente de parabéns”, comenta. (Fotos: Sérgio Ober)














ÚLTIMAS NOTÍCIAS