Cooperativas e governo discutem aplicação da lei que cria a taxa do leite em MT

HojeNews - Da Assessoria – O deputado Pedro Satélite (PSD) e representantes de laticínios de Mato Grosso se reuniram com o vice-governador Carlos Fávaro (PSD) para discutir a lei que cria o Fundo da Cadeia Produtiva do Leite e que entra em vigor em julho deste ano.

Assista ao vídeo:



O produtor deverá recolher dois décimos de milésimos de uma Unidade de Padrão Fiscal (UPF/MT) por litro de leite destinado à industrialização, menos da metade de um centavo. O setor pediu ao Governo Estadual autonomia sobre a aplicação do dinheiro. “Queremos participar da gestão desse fundo para fazer com que o nosso associado, Daniel Robson da Silva, presidente da Coopernova.

O fundo é privado e será aplicado em pesquisa e o melhoramento da cadeia produtiva do leite. “Não é um fundo com objetivo de fazer arrecadação fiscal para o Estado. Esse fundo segue apenas um modelo que já existe e que se comprovou eficiente em Mato Grosso em outros setores, como da soja, do algodão, da pecuária, do suíno e da semente. É um fundo privado, com gestão privada”, explica Carlos Fávaro.

Satélite foi quem provocou o debate para tranquilizar o produtor leiteiro sobre a aplicação dos recursos. “As cooperativas querem participar da administração desse fundo para que seja bem aplicado e que o resultado beneficie as pessoas que produzem, que trabalham no campo”, explica o deputado estadual.

No dia 7 de fevereiro, representantes do setor leiteiro, Empaer, do Indea, Gabinete de Desenvolvimento Econômico Regional e Secretaria de Desenvolvimento Econômico, se reuniram para fazer o esboço de como será a administração do fundo. Com  informações são da assessoria de imprensa.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS