Professor da UFMT de Sinop é investigado por discriminação contra gays, negros e cristãos

Olhar Jurídico - O professor M.C.P. que ministra aulas no curso de Medicina Veterinária da unidade de Sinop da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) é investigado por supostas práticas de discriminação contra seus alunos. O docente é suspeito de cometer atos preconceituosos contra gays, negros e cristãos. A denúncia contra ele tramita no Ministério Público Federal (MPF) no Estado

A investigação foi aberta na sexta-feira (17). Em maio do ano passado, a estudante A.S. denunciou o professor à própria universidade e ao MPF. Na ocasião, ela afirmou que o docente teria dito que ela era uma “pretinha e desclassificada fazendo macaquices”.

Na época, a UFMT de Sinop prometeu abrir um Processo Administrativo Disciplinar (PAD) para entender melhor o caso. Em paralelo, o MPF manteve a apuração do caso e com a publicação da portaria prosseguiu com a abertura de inquérito.

No documento, o procurador Malê Aragão Frazão requer que a instituição encaminhe as listas de presença dos alunos das disciplinas de Técnica Operatória e Introdução à Medicina Veterinária, no período letivo de 2 de novembro de 2015 a 29 de abril de 2016. As listas deverão conter o nome e contato telefônico dos acadêmicos.

Após este procedimento, dez alunos diferentes daqueles que não figuram como denunciantes deverão ser interrogados sobre o caso, para verificar se a denúncia é ou não verdadeira.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS