Ex mata grávida em motel, joga corpo em lixão e é condenado a 22 anos de prisão em MT


G1MT - O técnico em informática Charles França de Campos, de 27 anos, acusado de matar a ex-mulher grávida de quatro meses e jogar o corpo dela perto do lixão de Cuiabá, foi condenado pelo Tribunal do Júri, nesta quinta-feira (2), em Cuiabá. Na audiência, presidida pela juíza Monica Catarina Perri Siqueira, Charles foi condenado a cumprir 22 anos e 2 meses pelos crimes de homicídio, aborto e ocultação de cadáver.

Sebastiana Aparecida Paniágua Lopes, de 27 anos, foi estrangulada em junho de 2015. Charles deve cumprir a pena na Penitenciária Central do Estado (PCE), em Cuiabá, onde já estava preso desde a descoberta do homicídio.

De acordo o Ministério Público Estadual (MPE), o assassinato foi na modalidade feminicídio, conforme o MPE, que ocorre quando o crime é praticado porque a vítima é do sexo feminino.


Charles e Sebastiana haviam sido casados e tinham dois filhos, de 10 e 12 anos, que moravam com a vítima. O casal, após ter passado nove anos separado, havia voltado a se relacionar havia cerca de dois meses antes do assassinato da jovem.

Conforme a denúncia do MPE, Sebastiana, que trabalhava num shopping da capital, encontrou-se com Charles pela última vez no dia 4 de junho de 2015. Os dois foram para um motel e lá começaram a discutir porque o ex-marido desconfiou que o filho que a vítima estava esperando não era dele. O técnico, então, estrangulou a jovem e jogou o corpo na região do aterro sanitário da capital.

O corpo foi encontrado por moradores no dia 5 de junho. O suspeito foi preso na manhã do dia 15 de junho, em uma chácara na Comunidade de Aguaçu, em Cuiabá. O laudo do Instituto Médico Legal (IML) apontou que a jovem foi esganada e morta por asfixia.

Ao ser preso, Charles disse às autoridades que desconfiava da gravidez da ex-mulher e, por conta disso, houve uma discussão entre eles, no quarto do motel.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS