Audiência sobre segurança pública em Colíder convocada pelo vereador Marquinhos começa a dar resultados

Pouco mais de dois meses após a sua realização, no dia 25 de janeiro, a audiência pública convocada pelo vereador Marcos Aragão (Marquinhos – PSD) para debater a crise da segurança pública em Colíder começa a apresentar os seus primeiros resultados. No encontro, vereadores, Polícia Civil, Polícia Militar, Ministério Público, Promotoria Pública, Corpo de Bombeiros, Exército, Guarda Municipal, Prefeitura Municipal e Conselho de Segurança e representantes de diversos setores da sociedade organizada promoveram no auditório da Câmara Municipal um amplo debate sobre questões envolvendo a segurança pública no município.

Marquinhos explica que audiência foi motivada pelo aumento significativo das ações criminosas na cidade e em propriedades rurais, com furtos, assaltos, tentativas de assassinato e homicídios. “A população está preocupada e cobra de nós, vereadores e poder público, o estudo de medidas que possam reduzir essa onda de crimes que atinge Colíder, envolvendo principalmente menores de idade”, destaca o vice-presidente da Câmara.


As primeiras medidas tomadas a partir da audiência envolveram a formação do Gabinete de Gestão Integrada Municipal (GGIM) e a reativação do Conselho Municipal de Segurança Pública (Conseg). Além disso, os vereadores se mobilizaram e foram à Cuiabá nos dias 29 e 30 de março para cobrar do Governo do Estado, da Assembleia Legislativa e da Secretaria Estadual de Segurança pública medidas urgentes e efetivas de segurança para conter a escalada da violência em Colíder.

AÇÕES DE INVESTIGAÇÃO

Conforme Marquinhos – que integrou a comitiva liderada pelo presidente da Câmara, Rica Matos (PSD) – o vice-governador Carlos Fávaro e o secretário de Segurança, Roger Jarbas, prometeram que as ações policiais seriam reforçadas a partir de atividades de inteligência e operações qualificadas. “Jarbas disse que iria fortalecer essas ações em Colíder e toda a região, que precisam de uma atenção especial. Precisamos melhorar a sensação de segurança”, comenta o vereador.

Em um documento entregue ao secretário, os vereadores cobraram do governo estadual a retomada dos investimentos na área da segurança, com a nomeação de um delegado titular, o recolhimento dos menores infratores e o reestabelecimento dos programas Proerd e Bombeiros do Futuro. Os parlamentares também pediram a realização de operações policiais mais frequentes no município.


“Vamos reinstalar o GGI, que é extremamente importante. Além dos vereadores, conversei com o prefeito [Noboru Tomiyoshi] para fazer a municipalização do trânsito, para que a gente consiga ter um trânsito mais organizado e que os recursos provenientes dos autos de infração sejam revertidos para programas das forças policiais”, disse Rogers Jarbas aos vereadores, acrescentando que Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd) também será retomado em Colíder.

RESULTADOS IMPORTANTES

E os primeiros resultados começam a surgir. O Conseg e o GGI estão em processo de reativação. O Comando Regional da Polícia Militar e a Polícia Civil já realizam levantamentos que nortearão as ações de segurança no município. Na quarta-feira (12/04), uma equipe da Secretaria Estadual de Segurança Pública apresentou o projeto que prevê a instalação de 15 câmeras de monitoramento em Colíder. E na madrugada de quinta-feira (13), as polícias Civil e Militar e a Força Tática de Alta Floresta realizaram uma operação em todos os bairros da cidade.


“As pessoas de Colíder precisam ter de volta a sua tranquilidade, e nós vamos dar isso a elas”, diz o vereador Marquinhos. “Não podemos ficar à mercê dos bandidos. Essas iniciativas são importantes para tirar os bandidos das ruas e garantir segurança à população”, avalia Marquinhos, acrescentando que a colaboração da imprensa de Colíder é fundamental para mobilizar as autoridades e a sociedade.

“Mas é fundamental lembrar que apenas o trabalho da polícia não resolve a questão da violência. É preciso que a sociedade e as famílias se envolvam nesse processo. Os pais e as mães precisam cuidar e orientar melhor os seus filhos, mostrando a eles o caminho do bem. As políticas públicas sociais junto às comunidades carentes também precisam ser reforçadas”, destaca o vice-presidente da Câmara de Colíder.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Câmara de Colíder

ÚLTIMAS NOTÍCIAS