Estudante de Odontologia 'faz sexo' com cadela e publica vídeo no Facebook: "Gostosa demais"; caso gera protestos

Olhar Direto - Protetores de animais em Cuiabá irão registrar uma denúncia perante a Polícia Civil contra um estudante de Cuiabá que se filmou estuprando uma cadela. O caso ganhou repercussão nas redes sociais e aplicativos celulares. 

Após a repercussão negativa, H.F. deletou sua página em rede social, mas o vídeo ainda pode ser encontrado na Internet. Antes da postagem ser apagada foi possível constatar que ele é um estudante de um curso na área da saúde e estaria matriculado em uma faculdade privada da capital de Mato Grosso.

Durante o estupro ao animal, o rapaz chega a tecer uma série de elogios ao órgão sexual da cachorra, considerando o ato como normal. Em sua fala no vídeo ele deixa a entender ainda que essa não seria a primeira vez que abuso da cachorra.

“Ela sempre aguenta tudo, tudo, sempre, impressionado. Ela está no cio. Gostosa demais”, diz em trecho.

O sargento Vidal, que atua na proteção de animais em Mato Grosso, declarou que irá até á Delegacia Especializada em Crimes Contra o Meio Ambiente (Dema), no dia 20, solicitar que seja instaurado procedimento de investigação. 

Além dele, as protetoras Michele Scopel e Ivone Galindo irão acompanhar o procedimento. Os três estão revoltados com a situação."Nunca havia visto algo assim em Cuiabá", asseverou o policial militar.

“Ele tem que ser punido por esse crime, previsto pela Lei 9.605/98, em seu artigo 32, para que essa situação não tenha continuidade”, disse ao Olhar Direto na noite desta quarta-feira.

Ainda ponderou que é preciso saber quando o vídeo foi gravado. "Não se pode afirmar que seja um flagrante. A polícia tem que investigar e pode retirar o animal de sua guarda. Um absurdo", sentenciou.

Segundo a legislação vigente, a pena é de 1 a 3 anos de prisão, que pode ser convertida em medidas alternativas.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS