Vereador Lika volta a cobrar informações sobre contrato de concessão do serviço de água e esgoto em Colíder; "Esse contrato é tenebroso”

O vereador Ricardo Caldeira Rezende (Lika – PSDB) voltou a cobrar à Prefeitura de Colíder, durante a sessão ordinária desta terça-feira (02/05) da Câmara, informações sobre o contrato de concessão dos serviços de água e esgoto à concessionária Companhia de Águas do Brasil (CAB), empresa controlada pela Galvão Participações e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social Participações (BNDESPar).

Lika enviou um requerimento ao prefeito Noboru Tomiyoshi no dia 10 de maio e até o momento não recebeu as informações solicitadas. “E gostaria de ter esse ofício e mãos porque estou solicitando providências para a revisão do contrato de concessão para a CAB diante da precariedade dos serviços e de tudo aquilo que vem acontecendo. Venho recebendo várias reclamações. Esse contrato é tenebroso”, justifica o vereador.

Segundo ele, a taxa cobrada em Colíder é injusta para os consumidores locais. “Em Sinop essa mesma empresa cobra uma taxa de 60 por cento sobre o esgoto, e aqui é tarifada em 90 por cento. Sendo que em Sinop a renda per capita é três vezes maior do que nossa aqui, sendo que é a mesma empresa”, esclarece.

Lika sugere que a Câmara Municipal tome a iniciativa nessa questão envolvendo a CAB. “Essa casa tem que ser protagonista. E nós temo que ver isso aí o quanto antes possível. E tenho cópia de conta aqui cobrando valor de excesso de gasto. Sem contar a qualidade da água que sai da torneira. Por isso, eu solicito essa resposta para saber o que o Executivo já fez e para que a gente possa discutir com a assessoria jurídica da Câmara, chamar essa empresa para dar explicações e verificar esse contrato de concessão”.

ALVO DE CRÍTICAS
A CAB Colíder é responsável pelo gerenciamento e pela operação de sistemas de abastecimento de água e de esgotamento sanitário no município, bem como na gestão de clientes. O serviço foi repassado à iniciativa privada em 2002, através de concessão pública. À época, a empresa vencedora foi Agrimat Engenharia. Em 2009, justificando uma suposta ‘reestruturação societária’, a Agrimat repassou a concessão para a CAB.

Desde a sua terceirização, o serviço de abastecimento de água tem sido alvo constante de críticas da população de Colíder. Em agosto de 2015, o Ministério Público questionou a concessão e notificou a Prefeitura para que apurasse eventuais irregularidades contratuais e comprovasse a existência formal de documentos que transferem os serviços da Agrimat para a CAB.




ÚLTIMAS NOTÍCIAS - CONFIRA AQUI