Aeroporto de Colíder não possui infraestrutura adequada e segura; Ruam Batista pede asfalto e sala para passageiros

A construção do aeroporto municipal de Colíder foi aprovada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) em 2011, durante a gestão do ex-prefeito Celso Banazeski, e deveria receber investimentos de aproximadamente R$ 6 milhões através do Programa Federal de Auxílio a Aeroportos (Profaa). O Governo do Estado ficou de contribuir com uma contrapartida.

A pista teria 1,6 mil metros e estaria apta para receber aviões de médio e grande porte. Além da pavimentação, o projeto também previa hangar para passageiros e iluminação. No entanto, apesar da liberação dos recursos, a obra nunca saiu do papel devido à burocracia nos trâmites envolvendo documentação aliada à crise econômica.

Enquanto isso, os passageiros de Colíder permanecem sem acesso a uma estrutura adequada junto à pista utilizada para pouso e decolagem de pequenas aeronaves. O vereador Ruam Batista (PTB) quer mudar essa realidade. Ele pede ao prefeito Noboru Tomiyoshi, através de indicação, a implantação de uma sala adequada, asfalto e iluminação ao longo da pista.

“Sabemos que o aeroporto não é utilizado apenas pelos empresários do nosso município, mas também para garantir o acesso ao transporte aéreo a pacientes que necessitam de atendimento médico especializado e de urgência fora do município. Muitas vezes, o avião não consegue pousar porque a pista está escura ou por causa da chuva. Colíder já tem 32 mil habitantes e necessita de um aeroporto decente. Temos que ter um lugar adequado”, justifica Ruam Batista.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Câmara de Colíder



ÚLTIMAS NOTÍCIAS