Estado investiga irregularidade em contratos do ex-diretor do Hospital Regional de Sorriso


HojeNews - A Secretaria Estadual de Saúde (SES) protocolou na tarde desta quinta-feira (01.06), na Controladoria Geral do Estado de Mato Grosso, um ofício pedindo a apuração de supostas irregularidades praticadas pelo médico Roberto Satoshi Yoshida, conforme matérias jornalísticas publicadas pela mídia.

Servidor com vínculo na SES, no último dia 24 de maio Yoshida deixou a função de diretor-técnico do Hospital Regional de Sorriso. Além de receber salários do Estado (cerca de R$ 15 mil por mês), com a obrigação de cumprir jornada semanal de 40 horas, Yoshida mantinha contrato com o hospital para receber como diretor-técnico, função que não existe no organograma do hospital, e também como prestador de serviços de cirurgia geral por meio da empresa Roberto Satoshi Yoshida & Cia Ltda ME.

A empresa, registrada como Pessoa Jurídica, na qual Roberto Yoshida aparece como sócio, assinou em 2015 dois contratos com o Hospital Regional de Sorriso, à época em que a unidade se encontrava sob intervenção. Num deles, Roberto Yoshida recebia mensalmente R$ 16 mil como diretor-técnico. O outro contrato, no valor mensal de R$ 133.747,07, referia-se à prestação de serviços.

Em 19 de dezembro de 2014, a empresa assinou outro contrato com a Fundação de Saúde Comunitária de Sinop, gestora do Hospital Regional de Sinop, que à época também se encontrava sob intervenção. O contrato, assinado por Roberto Yoshida na condição de sócio-administrador, rendia à empresa R$ 198 mil por mês. 

Os relatórios extraídos do Sistema FIPLAN mostram que de 2015 a março de 2017, a Roberto Satoshi Yoshida & Cia Ltda – ME recebeu a importância de R$ 3.253.283,57. Foram R$ 1.838.025.57 em 2015; R$ 904.714,00 em 2016; e R$ 510.544,00 nos três primeiros meses deste ano. Com informações da assessoria do Estado.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS