Grupo de Mauro Mendes projeta saída do PSB depois de levar "rasteira" de Valternir no Diretório Nacional

Caso não haja qualquer fato novo, o grupo do ex-prefeito Mauro Mendes, de Cuiabá, deve deixar o Partido Socialista Brasileiro (PSB) para disputar as eleições de 2018 em uma nova legenda. A projeção partiu do presidente da Assembleia Legislativa e Mato Grosso, deputado Eduardo Botelho (PSB), ao considerar que houve uma deslealdade do Diretório Nacional, ao filiar o deputado mato-grossense Valtenir Pereira (ex-PMDB), nesta quarta-feira (14), e lhe entregar a Presidência da Executiva Regional.

“Vamos reunir os membros do partido, provavelmente nesta sexta-feira ou sábado, para discutir com todos, qual o caminho a ser tomado: se vamos ficar [no PSB] ou se vamos sair. Em principio existe tendência muito grande sair do partido”, argumentou Botelho, que participou da reconstrução da legenda, com Mendes e os demais parlamentares.

“É ruim para nós, que organizamos o partido. É o grupo de Mauro Mendes que trabalhou nisso; no crescimento do PSB. O Mauro correu o estado organizando o partido. Vamos reunir para conversar sobre isso. A decisão sai em bloco. É desagradável, porque o Mauro trabalhou com os deputados para reconstruir o partido; mas, se necessário, vamos sair e construir um novo caminho”, justificou Botelho, considerado o segundo em grandeza, na hierarquia do PSB mato-grossense.

O presidente da Assembleia considerou um contra-senso a discussão é sobre o voto dos deputados mato-grossenses Fábio Garcia e Adilton Sachetti, no projeto de reforma trabalhista, na Câmara Federal, contrários à orientação do PSB. “Nossos deputados [Garcia e Sachetti] são favoráveis à reforma trabalhista, porque vai dar viabilidade à livre negociação entre patrão e empregado, que é o que vai prevalecer. No entendimento deles, devem votar a favor [da reforma trabalhista] e o PSB nacional não admite isso”, criticou Botelho.

“Tem de existir respeito à liberdade do parlamentar. Senão era só consultar o presidente do partido sobre cada votação e pronto. Nem precisava fazer eleição”, ironizou ele.

Botelho também está aborrecido porque Valtenir chega como “salvador da pátria”, no Diretório de Mato Grosso. “Nós não estamos nos sentindo bem, nesta situação. Temos de discutir com calma e com cabeça fria, antes de fazer qualquer asneira. Mas, sim, estamos todos atônitos, porque nós construímos a força do partido”, complementou Botelho, ao lembrar que os quatro deputados estaduais têm liberdade para votar projetos, na Assembleia, sem pressão do Diretório.

Também têm assento no Edifício Dante de Oliveira os deputados Mauro Savi, o mais votado em 2014; Oscar Bezerra e Max Russi, que está licenciado para comandar a Secretaria de Estado de Assistência Social (Setas), desde o ano passado. Em sua vaga está o deputado Professor Adriano Silva.

Fonte: Olhar Direto
http://www.olhardireto.com.br/noticias/exibir.asp?id=435359&noticia=botelho-projeta-saida-de-grupo-de-mendes-do-psb-depois-de-levar-rasteira-de-valternir-no-diretorio-nacional



ÚLTIMAS NOTÍCIAS - CONFIRA AQUI