Em júri, mãe suspeita de ter matado a filha de 1 ano é absolvida por falta de provas

Uma mulher de 42 anos, suspeita de ter matado a filha de 1 ano e seis meses espancada em 2000, foi absolvida durante julgamento no Tribunal do Júri, realizado na sexta-feira (21), em Cuiabá. De acordo com a decisão, o Conselho de Sentença inocentou a mulher. A decisão foi publicada nesta segunda-feira (24).

De acordo com o processo, a menina foi levada pela mãe no Pronto Socorro de Cuiabá no dia 14 de maio de 2000 já em óbito. Ela alegou que a criança havia caídeo de uma cadeira.

No entanto, um laudo feito após a morte constatou inúmeras lesões "incompatíveis com o relato da mãe".

À época, o documento apontou que a morte da menina "se deu por choque hipovolêmico, causado da ruptura do rim esquerdo, provocado por instrumento contundente, havendo também indícios de crueldade”.

O Conselho de Sentença, no entanto, absolveu a mulher por falta de provas. A sessão foi presididada pela juíza Mônica Catarina Perri Siqueira.

"Considerando que o Conselho de Sentença, ao apreciar os quesitos que lhes foram apresentados para votação, reconheceu a materialidade do delito, contudo, no segundo quesito, não reconheceu que a ré efetuou golpe de instrumento contundente na vítima, restando, por conseguinte, prejudicada a votação dos demais quesitos", diz trecho da sentença.

Redação: G1 MT



ÚLTIMAS NOTÍCIAS