Policial teria pedido propina para recuperar caminhonetes roubadas em hotel, denuncia funcionário do estabelecimento

Funcionário do Hotel Gran Odara, em Cuiabá, denuncia ter sido vítima de policiais que exigiram propina para recuperar seis caminhonetes roubadas em estacionamento do empreendimento. Segundo o homem, que não será identificado, o prejuízo do hotel ultrapassa os R$ 700 mil já que os veículos foram levados para a Bolívia e o seguro do hotel só cobre parte do dano.

Segundo o funcionário, o prejuízo poderia ter sido ainda maior, já que nove criminosos invadiram o hotel, mas “só levaram seis caminhonetes”. De acordo com o denunciante, foi o hotel que identificou um dos comparsas como ex-funcionário da casa, acionou a polícia com os criminosos ainda em ação, mas por descaso não foram atendidos. “Eles arrombaram o portão do fundo, onde tem uma saída e começaram a puxar as caminhonetes (...) só conseguiram levar seis, hora que levaram as seis caminhonetes a gente já começou a acionar a Polícia, três ainda saíram a pé”, afirma.

Os funcionários do hotel informaram à polícia que os criminosos estavam indo de comboio para Cáceres. “A Polícia tem imagens (das caminhonetes passando em comboio), mas não fizeram barreira para pegar”, reclama. “E policial corrupto oferecendo servicinho para pegar caminhonete lá na Bolívia”, denúncia. “Gente pedindo propina (...) Segunda vez que a gente confia na policia e ela ferra a gente, que não investiga e não faz nada”, desabafa.

O homem ainda revela má comunicação entre as forças policiais na ação. “Identificamos todos, passamos para a polícia, às 6h da manha já tinham a identidade do ex-funcionário (...) prenderam os caras voltando da Bolívia, só que a Polícia Militar, que prendeu, não tinha as imagens que estavam com a Polícia Civil, soltaram os caras todos de novo”, desabafa. “Prenderam os caras e soltaram porque não tinham as imagens e agora estão correndo atrás dos caras de novo como se fosse novidade”.

Procurada, a Polícia Civil informou que no âmbito da instituição, a denúncia será apurada. Explicou ainda que caso o denunciante quiser, poderá formalizar a denúncia nas Corregedorias das Polícia Civil e Militar, uma vez que a ação foi um trabalho integrado que envolveu vários policiais.

Fonte: Gazeta Digital

ÚLTIMAS NOTÍCIAS