Preso por agredir cachorro com barra de ferro e tentar tomar arma de PM em Mato Grosso ironiza: “à noite estou na rua”

Fernando Henrique Silva de Oliveira, 24 anos, foi preso na última segunda-feira (31) acusado de ter roubado uma residência e de agredir o cachorro da família com uma barra de ferro. O fato foi registrado no bairro São José, em Barra do Garças (510 km de Cuiabá). O suspeito foi pego pela Polícia Militar apenas uma hora depois do fato. Ele ainda tentou tomar a arma de um cabo da PM.

O acusado é preso do regime semi-aberto por furto e violou a tornozeleira eletrônica, descumprindo medida judicial. Além de reagir ao ser preso, tentar tomar a arma de um cabo da PM, ele ainda disse aos policiais militares que a ocorrência não daria em nada e que à noite ele iria voltar para a rua para cometer novos crimes.

A prisão dele resultou na operação Bairro Seguro com objetivo de reprimir os crimes de furto, receptação e associação criminosa. Mais oito pessoas foram presas pelos referidos crimes. Além disso, foram recuperados diversos objetos de furto/receptação realizados nos bairros São José, Vila Maria, Jardim Palmares e Novo Horizonte pelo grupo criminoso. Entre os objetos roubados estão sapatos, perfumes, televisão, caixa de som.

Segundo o delegado Joaquim Leitão Junior, depois da prisão de Fernando, a Polícia Militar conduziu mais uma pessoa suspeita com os objetos roubados da vítima, identificado como Paulo Sérgio, e com o desdobramento dos flagrante surgiram novos suspeitos e a notícia de oito furtos no bairro São José.

“Traçamos uma operação integrada entre a Polícia Civil e a Polícia Militar para uma resposta rápida e fomos tendo êxito na recuperação dos objetos roubados na manhã desta sexta-feira (1º). Eles responderão por furto triplamente qualificado, receptação e associação criminosa”, disse o delegado.

“Pelo que elucidamos, tudo isso está relacionado ao tráfico de entorpecentes. São usuários de drogas que se valem de crimes patrimoniais para sustentar o vício. A Polícia Civil dará continuidade as investigações buscando, entre outras coisas, a recuperação dos pertences das vítimas dos crimes patrimoniais”, disse o delegado.

Fonte: Olhar Direto



ÚLTIMAS NOTÍCIAS