NOTÍCIAS

Todos sabem que Silval é meu inimigo, minimiza Taques após Jornal da Globo o citar em delação de ex-governador Silval Barbosa

O governador Pedro Taques (PSDB) minimizou o fato de ter sido novamente citado na delação premiada do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), conforme matéria divulgada no Jornal da Globo de quinta-feira (25), e ressaltou o fato dos dois serem inimigos públicos. De acordo com Taques, apesar de ser um instrumento importante, a delação premiada pode ser usada para criminosos atacarem desafetos.

“Todo mundo sabe que o Silval é meu inimigo. Todo mundo sabe que ele reputa a prisão dele, do filho dele, da mulher dele, a mim. Todo mundo sabe que no primeiro dia de governo eu determinei a vistoria e a fiscalização em todos os contratos da administração dele. A delação é um instrumento muito importante, mas também serve para prejudicar inimigos”, disse Pedro Taques, após fim do encontro regional do PSDB, realizada no Hotel Fazenda Mato Grosso, ao ser informado pela imprensa sobre a reportagem veiculada no JG.

No material que foi ao ar, novo trecho da delação, homologada no Supremo tribunal Federal pelo ministro Luiz Fux, aponta que Silval Barbosa usou um gravador levado por um filho para gravar conversa que teve na prisão, este ano, ao ser visitado pelo senador Cidinho Santos (PR).

Neste diálogo, o senador teria se apresentado como emissário do ministro Blairo Maggi (PP), Wellington Fagundes (PR) e Pedro Taques para propor que Silval desistisse de fazer uma delação. Em troca, esse grupo garantiria que a Operação Ararath, na qual o ex-governador do PMDB é investigado, fosse anulada.

O atual governador negou ter participado de qualquer conversa a respeito desse assunto. “Eu não tenho esse poder, nunca tive. Nunca conversei com Cidinho sobre a Ararath, nem sobre esse tema. Tem que perguntar pro Cidinho”, ponderou.

Anteriormente, Pedro Taques já havia sido citado na delação premiada por supostamente ter negociado com Silval o recebimento de dinheiro para campanha de 2014 em troca de alívios nas investigações dos atos do ex-prefeito. O tucano teria pedido R$ 20 milhões do peemedebista em uma reunião realizada na casa do ex-prefeito Mauro Mendes (PSB), com a presença de Blairo.

Contudo, Taques nega esse encontro e ainda salienta o fato de ter promovido investigações sobre os atos do ex-governador. Além disso, ele afirma que só poderá se manifestar de forma mais concreta após ter acesso aos documentos da delação premiada, os quais ainda estão sob sigilo de Justiça.

No paletó

O governador Pedro Taques disse que não poderia comentar os vídeos de seis parlamentares estatuais da legislatura passada recebendo maços de dinheiro de um suposto ‘mensalinho’, entregues direto pelas mãos do antigo chefe de gabinete de Silal Barbosa, Silvio Cesar, divulgados no Jornal Nacional, por ainda não ter assistido a reportagem. Ele também se negou a assistir o vídeo no momento.

No vídeo, aparecem o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, os então deputados estaduais Luciane Bezerra (PSB), Alexandre César (PT), Herminio Barreto (PR) e o deputado federal Ezequiel Fonseca (PP), além do deputado José Domingos Fraga (PSD). Este último passou batido pela reportagem do Jornal Nacional, aparece junto de Ezequiel Fonseca, ao pegar dinheiro de uma caixa de papelão.

Fonte: Olhar Direto